JoanadeAngelisJoanna de Ângelis

Todos somos beneficiários próximos das lições de vida, dos exemplos de fé, e do enorme amor que nos consagra a instrutora querida que se fez conhecer como Joanna de Ângelis. Sentimo-nos, portanto, ditosos pelo ensejo que terão outras pessoas de melhor compreender essa benfeitora espiritual através dos singelos apontamentos que faremos a seu respeito.

Segundo Divaldo Pereira Franco, médium diretamente assistido por Joanna de Ângelis, esta benfeitora no mundo espiritual estagia numa bonita região perto da crosta terrestre. Há muito vem trabalhando nos céus do Brasil, juntamente a vários espíritos reencarnados ligados a ela. Esses espíritos, antigos cristãos equivocados, procuram hoje se redimir na carne, contando com a assistência carinhosa desta mentora, cujo objetivo maior é o de criando experiências educativas, demonstrar a viabilidade de se viver numa comunidade realmente cristã, nos dias de hoje.

Temos notícia de quatro reencarnações deste espírito, consagradas a causa do Evangelho, sendo uma destas aqui mesmo no Brasil.

Viveu Joanna de Ângelis a personalidade de Joana de Cusa, à época do Cristo, recebendo diretamente deste, ensinamentos que lhe marcariam para sempre a existência, e lhe dariam forças para suportar o suplício na fogueira infamante. Encontramo-la depois na figura doce de uma freira da Ordem de Clara de Assis, o que explica seu amor pelo “pobrezinho de Deus”, que soube como ninguém dar o seu recado à vida.

Sua penúltima encarnação se deu no México, no século XVII. Mais uma vida dedicada ao bem. De uma inteligência precoce demonstra desde cedo a ânsia de compreender Deus através de sua criação. Ingressa-se no convento da Ordem de São Jerônimo da Conceição, com o objetivo de se dedicar mais aos seus estudos e penetrar com profundidade no seu mundo interior, numa busca incessante de união com o divino. É conhecida até hoje no México como a “monja da biblioteca”, e suas obras são lidas e respeitadas, sendo a principal delas a sua “Carta Magna da Liberdade Intelectual da Mulher Americana”.

Em sua última romagem terrestre viveu na Bahia, na época das Lutas libertárias pela Independência do Brasil, com o nome de Joana Angélica de Jesus. Novamente seguindo a sua vocação religiosa, torna-se abadessa, desencarnando a 20 de fevereiro de 1822, defendendo corajosamente a casa do Cristo do assédio de soldados que lutavam contra a independência do Brasil.

Nos nossos dias, dirige, no plano dos espíritos, a “Mansão do Caminho”, grande obra de assistência social na Bahia. Possui diversos livros publicados por intermédio de Divaldo Franco, tendo sido o seu primeiro livro editado em 1964 sob o título de “Messe de Amor”.

É Joanna de Ângelis, a querida mentora de nossa Mocidade, a quem devemos belos frutos colhidos e a colher na seara espírita à qual nos devotamos.

Aproveitamos a oportunidade para agradecer a este Espírito Amigo por nos ensinar a amar e a compreender, educando-nos com paciência e dedicação maternal.

Rogamos a Jesus que a abençoe e à amada mentora que não nos desampare.

Joanna de Ângelis seus jovens não falharão!