Muitas vezes, ao ler um texto sem a devida concentração e, por isso mesmo, conduzidos pela mais completa falta de atenção, deixamos passar grandes ensinamentos que, verdadeiramente, merecem de nossa parte as mais sérias reflexões. Pode ser uma frase, escrita com simplicidade, mas que, em essência, guarda profundos conhecimentos. Como exemplo, destacamos a afirmação feita por Aniceto, nobre instrutor de Nosso Lar: “- Precisamos acentuar experiências eaproveitar oportunidades.” [1]

Ao refletir sobre o assunto, fomos levados apensar sobre a veracidade da sentença acima. Por que precisamos acentuar experiências? Qual a razão para aproveitarmos as oportunidades? Foi aí que nos lembramos de um texto intitulado “Esta é a nossa mais importante encarnação de todos os tempos” [2], escrito pelo confrade espírita Alkíndar de Oliveira. A argumentação sólida e extremamente coerente utilizada pelo autor, responde de forma inequívoca aos questionamentos nascidos a partir da frase proferida por Aniceto. Tentaremos reproduzir as principais ideias de Alkíndar.

Constantemente lemos e ouvimos dizer no meio espírita que estamos vivendo uma intensa fase de transição planetária, na qual a Terra deixará de ser mundo de provas e expiações e se tornará mundo de regeneração, conforme afirmou o Espírito Santo Agostinho a Allan Kardec. Embora imperceptível para muitos, essa mudança está ocorrendo a passos largos, uma vez que as convulsões sociais e as transformações sofridas pelo planeta têm despertado o homem para a necessidade imediata de seu desenvolvimento não apenas intelectual, mas sobretudo nos aspectos moral e espiritual.

Tomando por base a resposta da Espiritualidade Superior à questão nº 798 de “O Livro dos Espíritos”, deduz-se que os princípios espíritas serão implantados no orbe terrestre entre os anos de 1997 e 2067. Já o mentor de Chico Xavier, Emmanuel, afirmou no segundo volume do livro “Plantão de Respostas”, que a Terra será um mundo regenerado por volta do ano de 2057. Portanto, por meio de duas fontes espirituais, temos evidências de que estamos há pouco tempo do alvorecer do mundode regeneração. “Momentos de Harmonia” é um livro ditado pelo Espírito Joanna De Ângelis ao médium Divaldo Franco em 1991, no qual a distinta mentora informa: “(…) dá-se neste momento a renovação do Planeta, graças à qualidade dos Espíritos que começam a habitá-lo, enriquecidos de títulos de enobrecimento e de interesse fraternal” Segundo Alkíndar, o mesmo médium, em palestra proferida em 1999, informou que, no ano de 2025, cerca de duzentos mil Espíritos altamente evoluídos retornarão à crosta terrestre através da reencarnação.

O autor nos convida a imaginarmos como será a Terra no ano de 2060. Os bons Espíritos mencionados por Joanna de Ângelis, que começaram a reencarnar no início dos anos 1990, estarão com, aproximadamente, 70 anos de idade. Os duzentos mil Espíritos altamente evoluídos que reencarnarão em 2025, como informado por Divaldo Franco, estarão com 35 anos de idade. Em 2060 os atuais líderes mundiais e as pessoas que hoje se comprazem no mal estarão desencarnados.

Por outro lado, a maioria de nós não está entre os bons Espíritos que começaram a reencarnar na última década do século XX e muito menos entre as entidades de grande evolução espiritual que aqui reencarnarão em 2025. Por conseguinte, a grande questão é: onde e como estaremos em 2060? Seja no plano físico ou no espiritual, felizes ou infelizes, colheremos os frutos do que tivermos plantado. Eis o motivo do alerta de Aniceto. É impossível negar que as oportunidades foram e estão sendo dadas por Deus. Encontramo-nos em período gravíssimo para a Terra e, consequentemente, para todos que a habitam. Se não aproveitarmos as chances de aperfeiçoamento, fatalmente não teremos condições de permanecer no novo mundo que está chegando, como ocorreu a milhões de Espíritos em um planeta do sistema de Capela [4]. Quantos Espíritos não gostariam de estar na nossa situação neste instante? Por tudo isso, Alkíndar concluiu que é imprescindível valorizar e agradecer a Jesus pelo ensejo desta encarnação, bem como iniciarmos urgentemente um processo de autoconhecimento e de transformarmos em vivência prática o nosso discurso sobre convivência e fraternidade.

Dada a seriedade do momento, o confrade cita Richard Simonetti: “Chegou a hora do conhecimento descer da cabeça para o coração” e também Carlos Abranches: “Precisamos raciocinar com o coração e amar com o cérebro”. Por nossa vez, perguntamos aos queridos amigos: ainda resta dúvida sobre a urgência de aproveitarmos integralmente as ocasiões que Jesus nos concede nesta reencarnação para fazermos todo o bem que pudermos? Pensemos nisso.

Valdir Pedrosa

[1] Os Mensageiros – Pelo Espírito André Luiz, psicografado por Francisco Cândido Xavier – capítulo 23 (Pesadelos).
[2] Texto disponível em http://www.caminhosluz.com.br/detalhe. asp?txt=2044 – acessado em 23/06/2016.
[3] O Evangelho Segundo o Espiritismo – Allan Kardec – cap. 3 (Há muitas moradas na casa de meu Pai) – itens 17 e 19.
[4] A Caminho da Luz – Pelo Espírito Emmanuel, psicografado por Francisco Cândido Xavier.