Kalimerium (Calimério)

O relato que ora passamos a fazer do nosso mentor “Calimério” nos dá uma pálida idéia do grande trabalho desse nosso amigo espiritual.

Desde o início da nossa tarefa de psicografia, no receituário espiritual junto ao Glacus, sentimos a presença de mais um amigo espiritual.

Como médium inconsciente, sentia-me durante a tarefa do receituário fora do corpo ou exteriorizado. Nesses momentos, sentia-me seguro pelas costas por uma espécie de cabo de aço que me dava segurança de locomoção e ao mesmo tempo conduzia-me a determinados lugares.

Com o passar dos anos, diminuiu a sensação de estar seguro por cabo de aço e passei a perceber mãos fortes a segurar-me ora pelo braço direito ora no esquerdo.

Durante minhas exteriorizações, saia da casa espírita e sobrevoava a cidade de Belo Horizonte. Via trechos de ruas e faróis acesos de veículos.

Às vezes, pousava em campo aberto ou em montanhas, levitava sobre plantações e florestas e acordava sempre quando o receituário espiritual chegava ao fim.

Após doze anos de tarefa mediúnica no receituário, vi o meu amigo espiritual em pé. Na segunda vez que isso aconteceu, percebi estar atravessando a mesa do salão de reuniões. Ao olhar para a direita, vi um espírito alto, aparentando cinqüenta anos que me olhava. Ele estendeu-me as mãos. Andei em sua direção e nos abraçamos como velhos amigos. Percebi então que ele era o espírito que me assistia durante as exteriorizações. Seu nome era Kalimerium (Calimério). Sua fisionomia era austera e o corpo esbelto, a barba aparada e rente era ruiva como seus cabelos.

Depois desse primeiro encontro, tenho avaliado a tarefa do nosso Calimério junto a nós e como instrutor. Sempre responsável e seguro dentro das atividades que exerce no campo espiritual da nossa Fraternidade.

Após trinta anos de convívio com nosso Calimério, percebi a grandeza de sua tarefa e a segurança que transmite quando estou exteriorizado. Quando se faz necessário, ele coloca suas mãos sobre a minha cabeça fazendo dilatar as potencialidades de vidência para que eu possa ver os quadros espirituais que compõem os relatos que tenho feito. O nosso Calimério é um companheiro, cuja existência marcante foi na Grécia. Época em que marcou os seus primeiros passos seguros no caminho do Evangelho de Jesus. Foi contemporâneo do nosso Glacus em 79d.C., conhecendo-o quando, a trabalho, foi transferido para Roma.

A tarefa de Calimério é junto a muitos companheiros que integram hoje, como cooperadores, a Fraternidade. Ele ampara os médiuns da Casa de Glacus, juntamente com o instrutor Eusébio. Exerce tarefa de ordem, como disciplinar todas as atividades do campo espiritual, para que as tarefas dos medianeiros possam transcorrer com tranquilidade.
Esperamos que o nosso Calimério possa continuar nos assistindo, nos educando e nos fortalecendo em todas as nossas atividades mediúnicas, hoje na tarefa da Fraternidade Espírita Irmão Glacus.

“Relato feito pelo médium Enio Wendling”.