reunioespublicas inicialsite  ciclosite 2017 01 1  terceirodomingo2017 chamadasite 02  abrace essa causa 01  Doe online

Onde estão o céu e o inferno segundo o Espiritismo

Este ano comemoramos o sesquicentenário do lançamento do livro "O Céu e o Inferno" de Allan Kardec, considerada uma das obras basilares do Espiritismo.

Em virtude de termos recebido convites para a realização de palestras sobre o tema, retomamos o estudo da obra, relembrando o prazer de ler um trabalho tão bem feito, meticuloso e abrangente, desenvolvido pelo nosso codificador

 

Segundo o saudoso confrade, Hermínio C. de Miranda1 , Allan Kardec é uma daquelas mentes que um amigo espiritual chamou de "espíritos ordenadores", cuja missão é "colocar em linguagem humana, acessível, as grandes ideias".2

A obra vem organizada em duas partes, lembrando o formato teoria e prática. A primeira parte desenvolve os temas "Céu, Inferno e Purgatório", passando por subtemas como "o temor da morte" e porque os espíritas não o tem; "anjos", "demônios", "doutrina das penas eternas" entre outros; além do famoso "código penal da vida futura", no qual são apresentados os princípios da Justiça Divina que governa os nossos destinos, conferindo-nos, todavia, ampla liberdade para definirmos pela vida que queremos ter, nos dois planos em que ela se manifesta.

Na segunda parte, o ensino vem diretamente dos espíritos desencarnados que vivenciaram variadas oportunidades de trabalho e reajuste nas últimas reencarnações, e que se encontram, cada qual, experimentando os resultados de suas próprias escolhas em diferentes ambientes do plano espiritual.

De início, um ensaio sobre os aspectos físicos e perispirituais que envolvem a separação do espírito do corpo no momento da morte, sob o título de "passamento" (cap. I da segunda parte).

Kardec classifica ainda o estado psíquicoemocional dos espíritos comunicantes em: "felizes", " em condições medianas " , "sofredores", "suicidas", "criminosos arrependidos" e "endurecidos". Organiza os testemunhos espirituais, exemplificando as várias abordagens desenvolvidas na primeira parte da obra, no sentido de demonstrar que a Justiça de Deus é soberana em todos os quadrantes do Universo, ainda que fora da matéria densa dos planos reencarnatórios.

O título "Expiações terrestres" finaliza a obra, ainda por via dos relatos das personagens reais desencarnadas, que contam as suas impressionantes histórias sobre sérios resgates realizados na última vida na matéria, no expurgo dos débitos outrora contraídos, ou ainda, dos missionários do Amor que se sujeitam a imensas dificuldades na reencarnação, com o fito de nos ensinarem lições preciosas, pelos exemplos de desprendimento e resignação.

Interessantíssimo o relato de um espírito feminino que fora vítima de atrozes sofrimentos físicos em decorrência de sua saúde debilitada, mas, principalmente, oriundos de "erros médicos" perpetrados contra si, resultado da utilização de terapêuticas inadequadas ao seu tratamento, durante cerca de 70 anos. 3

Evocado após o desencarne, este espírito narra as nuances de sua penúltima reencarnação, oportunidade em que exercia a nobre profissão de médico – trabalhando, porém, mais pela fortuna e fama do que pelo desejo sincero de auxílio aos doentes – e realizava pesquisas científicas aplicadas à revelia de seus pacientes, cujos resultados da experimentação de novas drogas, os debilitava ou adoecia, produzindo grande sofrimento.

O Espiritismo extinguiu o céu, o inferno e o purgatório das nossas cogitações a respeito da vida futura e das provas eternas, nos moldes em que estes "ambientes" e "destinos" foram historicamente concebidos.

Revela, todavia, uma variedade imensa de possibilidades para os nossos espíritos, no que se refere à vida futura, vinculando-nos, tão somente, à qualidade das nossas escolhas em face da Lei Divina, que é imutável e justa.

O livro "O Céu e o Inferno" aborda todas estas questões de forma clara e inequívoca, constituindo-se uma fonte importante de informações consoladoras acerca do "problema do ser, do destino e da dor"4 , sem dúvida, de leitura obrigatória para todos os espíritas.

É imperioso, portanto, que no momento atual, já atingidos que fomos pelas claridades consoladoras da sublime doutrina, "endireitemos nossas veredas"5 espirituais, a fim de podermos gozar no futuro, das belezas e prazeres indescritíveis das regiões superiores, onde reinam a paz e a concórdia para todos os que buscam, pelo exemplo, tornarem-se apóstolos do Cristo Jesus.

Everson Ramos de Oliveira

1 Hermínio Correa Miranda é um aclamado escritor espírita, autor de várias e importantes obras, entre elas, Diversidade dos Carismas, As Marcas do Cristo, Nas Fronteiras do Além e Cristianismo: A Mensagem Esquecida. Desencarnou em 08/07/2013.

2 MIRANDA, Hermínio C. Nas Fronteiras do Além. 1ª ed. Brasília/DF:FEB, 1993. 14 p. 3 KARDEC. Allan. O Céu e o Inferno ou A Justiça Divina segundo o Espiritismo. 38ª ed. FEB:Brasília/DF, 1992, item: Um sábio ambicioso, 404p. 4 Título da interessante obra de Léon Denis (1846-1927), autor francês considerado por muitos como o sucessor de Allan Kardec, ao lado de Gabriel Delanne (1857- 1926) e Camille Flammarion (1842-11925) 5 Evangelho segundo Lucas, cap. 3, versículo 4.