Joaquim Justino

Joaquim Justino de Godoy Filho nasceu em 25 de dezembro de 1910, na Vila de Amparo do Serra, no local denominado Fazenda da Cachoeira, onde permaneceu por pouco tempo, pois seus pais Joaquim Justino de Godoy e D. Anna Valentina de Godoy logo mudaram para a Vila de Jequeri (MG).

Em Jequeri viveu até o ano de 1932, Ali trabalhou muito pela sua sobrevivência. Buscava animais nos pastos e domava os mais bravos, desde cedo mostrava sua vontade de viver e de vencer na vida. O que ganhava era para ajudar os pais no orçamento doméstico. Seu primeiro trabalho fixo foi com Olívia, dona de uma farmácia que acompanhando o esforço do menino convido-o para ajudá-la no estabelecimento, lavava os vidros para colocar os remédios manipulados. Com o falecimento de D.Olívia foi trabalhar com o Dr. Aristides Campos na mesma função. Novas amizades foram sendo construídas, e com a mudança do referido médico para sua terra natal, surgiu aquele que seria o seu grande mestre e um de seus grandes amigos, Sr. Antônio Martins de Almeida.

Foi na farmácia do Sr. Antônio que aprendeu a arte de manipular, aplicar injeções, fazer curativos, e também em atender ao balcão, sempre tendo uma palavra de carinho para todos aqueles que eram atendidos por ele. Em 1932 Joaquim Justino se mudou para Ponte Nova e foi trabalhar na tradicional Farmácia Cotta. Em 1936 montou seu próprio negócio em sociedade com o Sr. Mário Fialho.

Cursou a Escola Livre de Farmácia e Odontologia de Minas Gerais, em 1937, em Belo Horizonte. Mas, apesar de ter concluído o curso, não obteve seu diploma por causa do fechamento da escola. Vários colegas seus conseguiram o certificado indo para Araraquara/SP, mas devido aos seus escassos recursos Joaquim Justino não teve condições para ir.  

Em junho de 1941 inaugurou mais uma farmácia. Casou-se com Glória de Godoy, com quem teve cinco filhos, três homens e duas mulheres.

Prático em farmácia, mas um profissional como poucos “Sô Joaquim” como era carinhosamente chamado, esteve na Farmácia São José por cinco décadas tendo grande parte de sua vida dedicada aos seus semelhantes e amigos.

Em 1989 se desfez da Farmácia São José, quando se afastou para tratamento da saúde. Mas a dedicação pela profissão que abraçou desde muito cedo, não deixou que ficasse em casa por muito tempo. Meses depois do fechamento das portas da farmácia São José nascia uma nova farmácia, com outro nome, a Drogaria Avenida. E foi nesta farmácia que ele trabalhou até o dia 17 de outubro, apenas dois dias antes do seu desencarne, que ocorreu às 15h30 do dia 19 de outubro de 1997.

Mesmo com tanto trabalho e dedicação no atendimento aos doentes, “Sô Joaquim” visitava sempre as casas espíritas de sua cidade e de outros locais e o ponto culminante de sua trajetória no Espiritismo foi a criação, em Ponte Nova, do Grupo da Fraternidade Irmão Fritz, local em que desenvolveu inúmeras atividades desde a sua fundação. Foi presidente, tesoureiro, secretário, diretor mediúnico e fazia parte das equipes de visitas aos enfermos e da campanha do quilo. Nas reuniões públicas, atuava como médium do espírito Adolpho Bezerra de Menezes, psicografando receitas para aqueles que procuravam o lenitivo espiritual. Também distribuía remédios no Centro Espírita Fé, Esperança e Caridade.

Atualmente Joaquim Justino está conosco na Casa de Glacus como mentor espiritual de uma das equipes de visita aos lares e sua presença espiritual muito nos enriquece na caminhada!

 

Biografia baseada em documentos, casos e fatos contados por Joaquim Godoy quando encarnado, escrita por seu filho  Antônio de Pádua Godoy. Agradecemos a gentileza e o carinho das informações.