Cícero Pereira

Cícero dos Santos da Silva Pereira nasceu em 11 de novembro de 1881 no distrito de Grão Mogol (MG). Foi o segundo filho de Ludovica e Manoel José da Silva Pereira.  Mudou se para Montes Claros em 1894 para fazer curso de professor (na época chamado de curso normal). Após concluído o curso passou a exercer o magistério. Muito esforçado Cícero chegou a ocupar o cargo de diretor.

Cícero conheceu a Doutrina Espírita aos 13 anos por meio de um grande amigo, Antônio Loureiro, logo após sua chegada a Montes Claros.

Em  5 de março de 1903 casou se com Guiomar Léllis, que foi sua aluna nos seus anos iniciais de magistério. O casamento foi em Riacho do Mato, município de Porteirinha, onde ambos exerceram cargo de professores.

Cícero e Guiomar não puderam ter filhos biológicos, mas isso não impediu de serem pais. Adotaram o menino Ruy Sócrates Loureiro, além de numerosos filhos espirituais que o casal gerou por toda vida, acolheram também com muito amor os sobrinhos Antônio, José, Joffre e Geraldo.

Em 1909 volta para Grão Mogol. Espírita convicto, levantou a bandeira do Espiritismo com sua  simpatia e com seu grande talento de orador conseguindo reunir elevado número de adeptos. Foi também coletor estadual, prefeito e colaborador assíduo do jornal local. 

Nessa época o espiritismo ainda sofria muito preconceito e em decorrência disto Cícero sofreu perseguição religiosa durante os quase dez anos que ali permaneceu. Como cristão autêntico, suportou todas as agressões recebidas com a maior serenidade e tolerância, amparado pelos amigos espirituais que sempre o assistiram.

Retornou para Montes Claros no ano de 1920, assumiu então a gerência do Banco da Lavoura e junto com colegas de magistério reorganizou a antiga Escola Normal, da qual foi diretor, assumindo também a atividade docente que ali havia desenvolvido. Foi escolhido para ocupar a cadeira número 27 da Academia Montesclarense de Letras.

Transferido para Belo Horizonte em 1927 passou a colaborar na União Espírita Mineira, especialmente no jornal “O Espírita Mineiro”, dando-lhes novas dimensões. Adepto do esperanto divulgou muito a Língua. Substituiu Antônio Lima na presidência da UEM, de 1937 a 1940 e desta data até 1948 exerceu a vice-presidência com grandes atividades nos departamentos doutrinário e assistencial.

Foi um dos fundadores do Abrigo Jesus de amparo à criança órfã e da Casa Transitória, destinada a socorrer em caráter temporário criaturas desajustadas. Sua vida foi exemplo de amor e dedicação à causa espírita, com Jesus e Kardec, por um mundo melhor.

Cícero Pereira desencarnou no dia 04 de novembro de 1948 em Belo Horizonte (MG), aos 67 anos de idade.

www.uemmg.org.br/biografias/cicero-pereira