Virgílio de Almeida

Virgílio Pedro de Almeida nasceu no dia 17 de setembro de 1902 no município de Capela (SE). A pequena cidade possuía pouco mais de 10 mil habitantes e abrigava o lar modesto e pobre de seus pais Cândido Bispo de Almeida e Maria Senhorinha Almeida e de suas irmãs Olindina e Enedina.

Ainda muito jovem Virgílio começou a trabalhar na cidade de Japaratuba (SE) na farmácia de seu padrinho Helvécio Campos de quem recebeu incentivo e apoio para estudar na capital do Estado e formar-se em Contabilidade. Durante o curso despertou espírito de liderança fundando e presidindo o Grêmio Estudantil da Academia de Comércio com o apoio dos colegas e professores.  

Em 5 de junho de 1922, ainda estudante, ingressou no Banco do Brasil em Aracaju.

Em 19 de janeiro de 1930 casou-se com a jovem Maria Zulnária Carvalho de cuja união nasceram os filhos Zica, Gilca, Isis e Gil.  Estando sua esposa grávida do último filho, Virgílio descobre estar com tuberculose pulmonar sendo mandado a Belo Horizonte para tratamento no Sanatório Hugo Werneck. Ali recebe a notícia do nascimento do filho caçula. Nessa ocasião já se tornara espírita, após ter conhecido uma das maiores figuras do Espiritismo sergipano Basílio Peralva autor de consagrados livros editados pela FEB.

Curado da insidiosa enfermidade mudou se para Minas Gerais em 1934 criando e fortalecendo as obras espíritas. Foi designado para servir na cidade de Três Corações, para onde se transferiu com a família. Inteligente, arguto, raciocínio ágil e íntegro, exerceu no Banco do Brasil importantes cargos de confiança nas cidades de Curvelo, Carangola, Carlos Chagas e Formiga.  Em cada uma dessas cidades agia como verdadeiro semeador da verdade espírita, fundando centros para o estudo da Doutrina onde não os havia ou estimulando as atividades de estudo doutrinário naqueles já estava em funcionamento.

Em Belo Horizonte, onde teve destacada atuação no Movimento Espírita, foi um dos primeiros presidentes da Aliança Municipal Espírita. Em sua gestão, marcada pelo dinamismo, nasceu o embrião da Feira do Livro Espírita, a Exposição do Livro Espírita inaugurada solenemente em 22 de setembro de 1973, no terminal rodoviário da capital Mineira, com a presença de Noraldino de Mello Castro, Neném Alluotto e outros dirigentes da União Espírita Mineira (UEM), além de representantes de várias instituições espíritas locais, entre os quais Salvador Schembri. 

O inexcedível espírito de liderança e a excepcional capacidade de trabalho, características marcantes de sua inconfundível personalidade, levaram Virgílio a criar e fortalecer inúmeras obras espíritas na capital Mineira. Assim é que seu nome está ligado à fundação do Hospital Espírita André Luiz, do qual foi diretor administrativo.

Como inspetor atuou na região do Triângulo Mineiro prestando cooperação nos centros espíritas de Uberlândia, Uberaba, Araguari e cidades adjacentes. Foi diretor e presidente de diversas casas espíritas. Após 37 anos de serviços prestados ao Banco do Brasil, Virgílio de Almeida aposentou-se.

Virgílio de Almeida desencarnou  no dia 8 de janeiro de 1974 em Belo Horizonte vitimado por um câncer no pâncreas.

Homem humilde, cordato, sério e de sólida formação moral foi trabalhador infatigável da causa do amor ao próximo cuja existência terrena soube dignificar com exemplos de autêntico cristão.

 

www.uemmg.org.br/biografias/virgilio-pedro-de-almeida