Cleomar Fernandes

Cleomar Maria Izabel Quintão Fernandes nasceu em Belo Horizonte-MG, em 14 de maio de 1938, mas somente foi registrada no dia 06 de outubro daquele mesmo ano (data informada em seus documentos pessoais). Trabalhou para o Dr. Lydio Diniz como secretária e foi através dele que ela conheceu o Grupo
Sheila. Iniciou-se assim no estudo e atuação na Doutrina Espírita. Participou do Centro Oriente e foi nas reuniões da Mocidade Espírita dessa casa que conheceu aquele que seria seu futuro esposo – Milton. Casou-se com Milton Martins Fernandes (também tarefeiro da FEIG) em 27 de maio de 1961, e com ele teve 4 filhos: Helil, Rúbia, Valéria e Milton Junior. Participou ativamente das reuniões com o Sr. Jair, Dona Ló, e outros membros do Centro Oriente e posteriormente na Fraternidade Espírita Irmão Glacus. Trabalhou como voluntária no Hospital Espírita André Luiz. Dessa época, houve um fato curioso, que o Sr. Jarbas sempre gostava de contar: a história de uma paciente psiquiátrica que mordeu o dedo dela e quase o arrancou com a boca!
Morou com a família na cidade de Brasília-DF, de 1974 a 1979, e nesse período ela fez o curso de Análises Clinicas, trabalhando como laboratorista no SESI daquela cidade. Não exerceu mais essa atividade após o retorno da família a Belo Horizonte. Tarefeira da FEIG no Atendimento Fraterno, Cleomar Fernandes desencarnou logo após completar 60 anos de idade, em 29 de junho de 1998. O relato de seu desencarne e sepultamento está registrado no Livro “Relatos Espirituais, de autoria de Ênio Wendling”. Ele relata: “(…) ela foi conduzida pelas mãos dos amigos espirituais para a Instituição Samaritanas do Bem, próximo à crosta terrestre, sobre a cidade de Belo Horizonte e, às 21h, foi deslocada para a Instituição de refazimento na Colônia Espiritual Nosso Lar, no pavilhão feminino (…).É nesses instantes de tanto aprendizado para todos nós, que vemos a nossa fé se fortalecendo e o bom ânimo aumentando, pois notamos com clareza a importância da Doutrina Espírita em nossas vidas, bem como a prática de seus ensinamentos, que nos levará certamente a uma passagem mais segura para o nosso adiantamento espiritual”.

Cleomar Fernandes é mentora de uma das equipes de Visita aos Lares e Hospitais da FEIG.

Fonte: Relato de Rubia Fernandes