Delmitina de Oliveira Baumgratz

Delmitina de Oliveira Baumgratz nasceu na cidade de Lima Duarte, estado de Minas Gerais aos 14 de novembro de 1894, sendo filha de numerosa família e tendo como pais Jerônimo Rodrigues de Oliveira e Maria Honória de Paula.

Casou-se em 1924 com Leonardo Baumgartz que era viúvo e, como amigo da família de Delmitina, participava das reuniões espíritas em seu lar. Ele se enamorou da jovem e foi correspondido, havendo uma simpatia espiritual que os ligava. Desse consórcio tiveram seis filhos: Dulcídio, Delcides, Dinaura, Dalmes, Delauro e Dinalva.

Dotada de inteligência e bondade, Delmitina muito colaborou com sua mãe na educação dos irmãos menores. De apreciável cultura, passou a escrever para a imprensa espírita artigos doutrinários de muita aceitação. Praticava suas várias faculdades mediúnicas como psicografia, psicofonia, audição e intuição, mediunidade sempre a serviço do bem.

Junto com o esposo, ainda com filhos pequenos, inclusive os filhos dele do primeiro casamento, participava ativamente do “Centro Espírita Nina Ramos”, construído em terreno cedido pelo marido e os tijolos fabricados artesanalmente na fazenda do seu pai, em Lima Duarte. Alí prestou inestimáveis serviços à comunidade, inclusive assistencial, na confecção e distribuição de enxovais para crianças recém-nascidas.

Sua família se transferiu para Belo Horizonte em 1936 e passaram então a frequentar a União Espírita Mineira. Foi uma época muito proveitosa para os filhos, que foram encaminhados à Evangelização, dirigida por Rubens Costa Romanelli.

Em março de 1940 foi organizado o grupo denominado ”Operárias do Bem”, composto por diversas senhoras de grande boa vontade, que muito cooperaram em benefício do “ABRIGO JESUS – Instituição Espírita de Promoção da Criança”. Delmitina, que está entre os cerca de vinte signatários da Ata de Constituição daquela entidade, presidiu o grupo de senhoras, que tinha reuniões semanais, angariando sócios e contribuições para aquela instituição. Além de suas atividades, seus filhos, em alguma etapa da vida, participaram ativamente dos trabalhos no Abrigo, inclusive Dalmes que, menino, declamava poesias ensinadas pela mãe nas reuniões festivas.

Delmitina desencarnou em 30 de janeiro de 1953, aos 58 anos. Durante toda a existência terrena vivenciou um sentimento e ação no ideal do Espiritismo, tanto na comunidade como no lar, levando a todos a luz do entendimento espirita-cristão. Sua vida foi sempre vinculada ao Bem.

Delmitina Baumgratz é mentora de equipe de Visita Fraterna da Fraternidade Espírita Irmão Glacus.

Fontes: Biografia transcrita do Anuário Espírita de 1994; Informações adicionais extraídas do Livro “História de uma Instituição de Caridade”, Osório de Morais, BH.1970; Gentilmente revisada por Delauro Baumgratz.